Acho que uma das perguntas que eu mais recebo em relação à gravidez é o que eu ando usando para a prevenção de estrias e manchas de sol. Eu adoro ler sobre isso e testar produtos, então resolvi fazer um apanhado geral sobre produtos (cosméticos e outros) que testei nessa gestação. Rolou até um vídeozinho lá no canal também, mas achei que seria legal deixar a lista completa de produtos aqui para vocês:

PARA ESTRIAS:

BEPANTOL MAMY / PALMER’S COCOA BUTTER FORMULA / FISIOGEL / CREME MUSTELA PARA ESTRIAS / CREME MUSTELA PARA O BUSTO

Bem, acho que deu pra perceber que no quesito “estrias” eu tentei me prevenir bem, né? Como já tinha comentado em outro momento: eu tive algumas na primeira gestação, mas só isso. No futuro posso comentar sobre o tratamento que eu fiz para retirá-las, mas por enquanto vou contar para vocês como estou fazendo para evitar o aparecimento de mais estrias. Essas marcas chatinhas aparecem quando a pele estica e “rasga”, então o legal mesmo é mantê-la hidratada, daí o uso dos cremes hidratantes. Mas é bom lembrar que tomar água é essencial, para se manter hidratada de dentro para fora! Além disso, fiz questão de usar os cremes pelo menos duas vezes ao dia, já depois do banho imagino que o produto perca o efeito. Comecei a gestação usando o Bepantol Mamy (+/- R$ 60 por 150ml) , que foi um creme (de farmácia) lançado depois da gravidez da Nina e eu não tinha tido a chance de testar. Ele é indicado tanto para a barriga quanto para os seios e foi assim que eu usei. O creme é meio grossinho quando sai da embalagem, mas assim que passamos na pele, ele dá uma afinada e seca em poucos segundos.É assim que eu gosto! Detesto aquela sensação de ficar melecada de hidratante e por isso tenho a super preguiça de passar. O cheiro é super agradável (não é forte, na minha humilde opinião) e acho que o produto rendeu bem! Ainda no começo da gestação, tinha encomendado o Palmer’s Cocoa Butter for Stretch Marks (+/- R$ 80 por 250ml), que demorou um pouquinho para chegar. Eu já tinha usado esse creme na gestação da Nina e tinha achado o custo benefício super bom. Esse creme também tem uma textura mais espessa, que também seca rápido e deixa a pele bem macia. O único ponto negativo é o cheiro meio forte de chocolate, que na outra gravidez não me incomodava, mas dessa vez acabou por me fazer parar de usá-lo. Vale lembrar que essa marca tem diversos outros produtos para estrias, mas eu só testei esse. Depois de interromper o uso do creme da Palmer’s, comecei a usar um produto que minha mãe tinha comprado: a loção cremosa Fisiogel (+/- 105 por 120ml). Imagino que esse creme seja bem conhecido por quem ter problemas de pele como dermatite, já que ele é referência em hidratantes hipoalergênicos.  Nessa altura da gravidez eu já estava sentindo aquela coceira na barriga, indicando que a pele não estava bem hidratada e já já iriam estourar algumas estrias. Senti que após alguns dias do uso desse produto a coceira passou totalmente e nenhuma estria saiu (yey!). Eu já achei a textura desse creme bem mais fina do que a dos outros que testei, mas ele também seca bem mais rápido, deixa a pele super hidratada (sem ficar grudenta) e não tem cheiro algum (pelo menos não que o meu super olfato de grávida tenha notado). Com certeza um dos meus preferidos… o único problema é o precinho que não é lá muy amigo. E por último mas não menos importante: os cremes Mustela Hidratação Extrema (+/- R$ 120 por 200ml) Mustela Cuidado Específico para o Busto (+/- R$ 98 por 125ml). Recebi esses dois cremes em um  presskit que a Mustela enviou em comemoração ao Dia das Mães e comecei a usar imediatamente. De todos os cremes que eu usei achei que esses tem a melhor textura e o melhor cheiro (narizes mais sensíveis podem não gostar muito). Como a textura é beeem emoliente, dá para fazer uma massagem gostosa na barriga e alguns segundos depois o creme seca totalmente, só ficando o cheirinho.

PARA MELASMA:

PROTETOR SOLAR ANTHELIOS XL (LOÇÃO FLUIDA) – FPS 70

Essas manchinhas chatas na pele (que são bem comuns na gestação) surgem de uma combinação da agressão do sol com o hormônios malucos da gravidez. Essas manchas podem ser tratadas depois que o bebê nascer, mas acho legal prevenir para nem apareçam. Além de evitar a exposição solar excessiva, é essencial usar protetor solar facial. Eu admito que eu sempre fui super relapsa com isso, o que é perigoso já que eu sou super branquinha. Mas, pelo menos na gravidez, eu sempre lembro de usar protetor. O problema é que eu esse tipo de produto costuma me desagradar bastante, já que a textura é estranha e eles costumam deixar a pele melecada e mega brilhante (no sentido de oleosa). Até essa gestação eu não tinha encontrado algo que me agradasse, até porque eu uso maquiagem quase todo dia e queria algo que não me deixasse com cara de boneco de cera. Enfim… em alguma ida à farmácia, resolvi testar o Protetor Solar Anthelios XL (+/- R$ 50 por 50ml) e não troquei mais. Como consegui testar a textura ainda antes de comprar, vi que ele quase não tem cheiro e seca em segundos, deixando uma textura aveludada na pele. Quando comecei a usar, vi que ele não atrapalha em nada a aparência da maquiagem, então nada me impede de usá-lo, hahaha. Apesar do preço chatinho da marca (normal, né), achei que ele rende MUITO e ainda estou no meu primeiro vidrinho.  

CUIDADOS COM O ROSTO:

BEPANTOL MAMY / PALMER’S COCOA BUTTER FORMULA / FISIOGEL / CREME MUSTELA PARA ESTRIAS / CREME MUSTELA PARA O BUSTO

Infelizmente essa foi a parte que eu mais tive que mudar na gestação. Minha rotina de cuidados com a pele do rosto envolve dois tipos de produtos: alguns para evitar acne e outros anti-envelhecimento. Mas esses dois tipos de produto contém componentes meio polêmicos para grávidas . Existem médicos que liberam alguns (como o ácido salicílico dos anti-acne e o ácido glicólico dos anti-idade) a partir do terceiro trimestre, mas no geral esses ingredientes não são indicados. Na dúvida, substituí quase tudo que eu usava.

Compartilhe ❤

A amamentação para mim sempre foi meio trabalhosa no início, mas depois fluía bem. Desmamei o Bernardo às pressas por orientação médica quando engravidei do Tomás. Hoje sei que foi um equívoco, tanto que amamentei a Nina até o mês passado, já com oito meses de gestação. Não sou médica ou profissional da saúde, mas chequei em vários lugares (inclusive com a minha obstetra, claro) e, se a gestante estiver numa gravidez sem grandes riscos,  a amamentação pode seguir normalmente. O que acontece (e aconteceu comigo) é que o leite vai mudando durante a gestação e no final o que sai é o colostro que vai alimentar o próximo bebê. É normal então que a criança ou bebê, que esteja mamando, sinta essa diferença e largue naturalmente. A Nina completou 2 anos e 7 meses essa semana e durante muito tempo nem deu sinal de que pararia de mamar tão cedo. Por um lado eu estava super feliz e realizada, já que consegui levar a amamentação super longe e por outro lado bem preocupada, já que não tinha nenhuma ideia de como gerenciar meu leite entre dois seres de idades e necessidades diferentes.

desmame

Um dos nosso últimos registros da amamentação. Foto: Larissa Sampaio

Para a minha surpresa, segui confiando na naturalidade do processo e em algum momento (durou meses o processo) a Nina parou de mamar sempre. Às vezes passava um dia ou outro sem pedir ou lembrar de mamar. Eu seguia na linha do “não vou oferecer, mas também não vou recusar”, até porque tinha bastante medo de traumatizá-la e tornar a chegada do irmãozinho algo que a incomodasse mais que o normal. Eu imagino que o que mais tenha feito diferença foi o gosto/textura do “leite novo”. E, ao mesmo tempo que ia demonstrando desinteresse pelo leite, fui deixando claro que mamar não era a única forma de passar aquele tempinho junto com ela. Fui dando bastante colo, passando um tempo abraçadas juntinhas. No fim eu acho que ela entendeu. Tivemos alguns momentos nos quais ela regrediu um pouco, como quando ficou bem gripadinha e tudo que queria era colo e “mamá”. Depois desses períodos continuei me comportando da mesma maneira de antes e novamente ela esqueceu de pedir para mamar. Hoje em dia ela olha pra mim, sabe que ali tem “mamá” e já sinaliza que “é do Bento”. Considero o desmame um sucesso por aqui, mas não tenho certeza de como ela vai se comportar depois que o irmão chegar. Vamos ver né :)

Ela está super tranquila e eu admito que quem sentiu mais esse processo todo fui eu. Apesar de racionalmente saber que não é verdade, dá uma sensação de eu perdi uma parte da minha bebêzinha (que já cresceu faz tempo). Mas a vida é assim, né? Eles crescem super rápido mesmo!

Durante esse período no qual me preocupei com o desmame, sabia que queria seguir uma linha mais natural e li vários textos. Vou deixar alguns que mais gostei como sugestão:

Depoimente: Desmame Natural – Portal Maternidade Consciente
“De novo a culpa… Quando o desmame natural vem da mãe” – MamãeDoula
Desmame: Perguntas e respostas sobre o fim da amamentação – Bebe.com.br

Veja mais posts sobreamamentação, desmame, gravidez
Compartilhe ❤

Eu sempre achei legal a ideia de registrar a gravidez, mas sempre tive muita vergonha de correr atrás de um ensaio meu. Não sou nada fotogênica e achei que morreria de vergonha na hora de tirar as fotos. Então precisei chegar na quarta gravidez para botar essa vontade em prática! O ensaio foi feito aqui em Brasília quando eu estava com 33 semanas. A fotógrafa (e amiga <3) Larissa Sampaio sugeriu que toda a família fosse envolvida e o resultado não poderia ter sido melhor!

Passamos mais ou menos umas duas horas tirando fotos, num fim de tarde sábado e eu achei tudo lindo! No dia eu estava passando super mal, mas nem lembro disso quando vejo as fotos. Eu realmente amei!

Obrigada Larissa pelas fotos lindas e pela paciência infinita com as crianças (que não pararam um minuto sequer) e com a gestante hahaha <3

Fotos: Larissa Sampaio

Maquiagem: Linda Kramer

Compartilhe ❤

ninoca

Pra quem queria entender o meu sumiço, agora já dá pra ter uma ideia, né? Não foi só blog, youtube e redes sociais no geral. Acabei ficando meio off de tudo, já que o início da gravidez bateu bem com a saída da pessoa que me ajudava aqui em casa, mudança de comportamento dos meninos etc. Agora que já resolvemos tudo isso e a notícia já foi anunciada. Já posso respirar aliviada e voltar com a minha presença online.

Quando anunciei a gravidez através de um vídeo no meu canal no youtube (se inscreve aqui!), a maioria entendeu o recado e teve gente que até ficou confusa. Mas sim, eu estou grávida e beeem grávida inclusive hehehe. Com certeza boa parte de vocês vai achar que a gravidez está no início, mas já vou avisando que essa segunda-feira eu e o bebê entramos na décima nona semana de gestação. Não que tenhamos descoberto a notícia tarde. Eu fiz meu beta com 5 semanas. Mas o normal foi sempre esperarmos até semana 12 para sairmos contando por aí. Dessa vez respirei fundo e resolvemos enrolar mais um pouquinho! Demoramos para contar para família (e amigos) e logo depois começamos a pensar em alguma ideia de vídeo legal para anunciarmos para vocês. Motivo principal? Preguiça haha. Deixa eu explicar: escuto coisas lindas (só que não!) desde a segunda gravidez. Imagina agora na quarta! Fiquei com preguiça de blá blá blá. Por mais que meu padrão seja ignorar piadinhas/comentários desapropriados, quem esteve grávida sabe como fica nosso lado emocional nessa fase, né?

Mas estou bem feliz de finalmente ter dividido a notícia com vocês! A minha ideia é fazer sim diários de gravidez semanais, tanto aqui no blog quanto no canal. Então fiquem atentas por aqui =)

Um beijo e muito obrigada pelo carinho! E ah… feliz 2016!

Compartilhe ❤