Acho que não novidade a privação de sono que ocorre logo depois que o bebê nasce, né? O bebê vem e precisa ser alimentado, limpo, amado… a cada algumas horas. E não se sinta mal se perceber que seu bebê precisa de você o tempo todo. É assim mesmo!
Só que ninguém é ferro! Mas como funcionar e cuidar de outro micro ser humano (!!!) nessas condições?
Recentemente tenho passado por uma situação de privação de sono que me lembrou muito do Bento versão “recém nascido”. Resolvi então compartilhar com vocês algumas dicas para manter a sanidade, mesmo que dormindo pouco.

Fonte da imagem: Shutter Stock

COLOQUE O BEBÊ PARA DORMIR AO SEU LADO 
Sei que tem muita gente que torce o nariz para cama compartilhada, mas não é isso que estou sugerindo. A ideia é botar o bebê para dormir no seu quarto, seja cama compartilhada, mini berço ou no próprio bebê-conforto. Eu percebi que para mim era muito menos cansativo simplesmente levantar, pegar o bebê, amamentar e colocá-lo novamente no bebê-conforto. Sem contar o conforto psicológico de saber que eu simplesmente ia escutar caso o bebê acordasse, engasgasse, gritasse… Me entende?
PRORIZE
Eu acho que uso essa palavra como dica (ou solução) para um monte de problemas que encontro nessa vida de mãe de quatro, mas a eficiência é real! Ninguém consegue fazer tudo. Quando adicionamos um bebê recém nascido na equação, provavelmente não faremos nem o básico. Então é hora de parar e pensar no que realmente é necessário e começar por aí. Um dia essa privação acaba e você retoma sua vida, botando tudo (ou a maioria das coisas) nos eixos.
TIRE PROVEITO DAS VISITAS
Vamos aproveitar que várias pessoas querem conhecer o bebê e fazer algo por você? Seja um banho digno, uma soneca ou até pedir para alguém lavar a louça. Eu sei que não se pede isso para pessoas não tão íntimas, mas as pessoas normalmente são mais solícitas quando temos um bebêzinho… Então a palavra é “aproveitar”.
SE DISTRAIA DURANTE A MAMADA NOTURNA
Amamentar recém nascido demooooooora. O Bento facilmente passava meia hora mamando…e isso num seio só! Eu ficava com medo de cair no sono e provavelmente eu iria. Mas comecei a me distrair durante essas mamadas mais cansativas. Coisa simples: assistir um filme, conferir algum canal no YouTube.  E isso me deixava bem empolgada porque, no mínimo, seria o único momento no dia que eu teria uma distração garantida.
APRENDA A DELEGAR TAREFAS
Eu já comentei em alguns vídeos que eu não gosto de pedir pra outras pessoas fazerem certas coisas aqui em casa. Estou falando de coisas simples como cozinhar, lavar roupa, guardar coisas em armário. Isso porque provavelmente eu sou mais eficiente (já que sou quem faz isso sempre). Mas a coisa muda quando você é responsável por um recém-nascido e, como comentei lá em cima, talvez não consiga fazer nem o básico. Então delegar algumas coisinhas por aí?
UMA OUTRA DICA (QUE NEM É DICA)
É bom começar a aceitar que não dá para fazer tudo. Falo isso tanto para a fase de recém-nascido quanto para quando seu filho tiver 6 anos. Ter filhos sempre traz várias responsabilidades a mais e, como o dia só tem 24 horas, outras coisas ficarão de lado. NORMAL! Não se culpe! É assim com todo mundo :) Tente se organizar e se planejar. Mas se mesmo assim não rolar o básico, lembre-se: amanhã é um novo dia.
Se gostar de YouTube, gravei um vídeo falando sobre esse tema:

Veja mais posts sobredicas, privação de sono, recém nascido, sono
Compartilhe ❤

Alguns alimentos causam uma reação adversa em algumas pessoas e em outras não. Além disso, essa reação adversa pode se manifestar de várias maneiras – eczema, febre, vômito, enjôo, diarreia, falta de ar, rinite, etc. Logo, essa reação adversa pode ser uma alergia alimentar ou uma intolerância alimentar.

Os mais comuns são leite de vaca, ovo, amendoim, soja, peixe, frutos do mar e nozes. O que pode acontecer também é o que chamamos de reação cruzada, ou seja, alimentos diferentes podem induzir respostas alérgicas semelhantes no mesmo indivíduo. Isso ocorre porque certo alimento tem uma “parte semelhante” ao outro alimento que causa a alergia. Como assim?

Por exemplo, se você tem alergia ao pólen, você pode ter alguma reação a certas frutas in natura ou se você tem alergia ao amendoim, você pode ter reação a ervilha, soja ou outros feijões.

Essas manifestações alérgicas estão aumentando devido as mudanças nos hábitos alimentares. Atualmente, substituímos alimentos naturais, nutricionalmente equilibrados, por produtos industrializados que não há nenhum conteúdo nutricional. Muitas vezes, esses alimentos industrializados contêm milhões de aditivos alimentares na lista de ingredientes que o nosso corpo nem reconhece como “nutriente”. Ou seja, estamos agredindo o nosso corpo e ele PRECISA responder ativando o sistema imunológico. Aumentou mais da metade o consumo de refrigerantes, biscoitos, embutidos, fast food, etc.

Compartilhe ❤

O hábito alimentar é formado desde a infância e não sofre influências somente da família, mas também do ambiente escolar. Devemos nos preocupar com a alimentação na escola que os nossos filhos estudam? Com certeza! A escola é o segundo lugar que influencia o hábito alimentar da criança.

Esses hábitos alimentares influenciarão no crescimento e desenvolvimento da criança, além de influenciar no aparecimento ou não de doenças crônicas não transmissíveis (obesidade, diabetes, hipertensão, etc).

Dessa forma sempre é importante acompanhar o cardápio da escola para saber o que está sendo oferecido ao seu filho. Fique de olho e SEMPRE pergunte se aquele pão de queijo ou aquele bolo que está no cardápio é industrializado ou caseiro. Observe se aquele biscoito maisena ou biscoito de polvilho são oferecidos diariamente ou algumas vezes.

Já as crianças que levam o lanchinho de casa podem levar alimentos saudáveis ou não, depende do hábito alimentar da família. Se a família só tem em casa biscoitos recheados, a criança só levará biscoito recheado. Se a família tem uma alimentação saudável, a criança levará alimentos bons a sua saúde.

O recomendado é que a criança não consuma nenhuma fonte de balinhas, biscoito recheado, suco de caixinha, açúcar nos lanches escolares. Tenha um consumo maior de frutas, sucos naturais, bolos simples e biscoitos simples.

Há crianças que almoçam e jantam nas escolas. Ficar atentos também quanto ao cardápio! É oferecido salada cozida? Crua? Esses alimentos realmente são colocados no prato do meu filho? Ele realmente come? É importante conversar com as professoras para saber se esse alimento está sendo posto no pratinho da criança e, se a criança realmente tem consumido.

Compartilhe ❤

Não adianta fazer tudo perfeitinho no prato, se os alimentos não estiverem em um estado adequado para serem consumidos.

Na hora de comprar frutas e hortaliças, é importante ficar atento se tem partes do alimento manchado, mofado, amolecido ou cor alterada, consistência alterada, perfuração, etc. A fruta e a hortaliça precisa estar em ótimo estado. Uma fruta amassada ou com uma perfuração contamina a fruta inteira e não apenas onde está aquele amassadinho que você vai tirar com a faca.

Escolha sempre hortaliças e frutas frescas, sem manchas e de boa aparência. Por exemplo, ao comprar uma manga prefira a que estiver com a casca alaranjada ou avermelhada, pois manchas escuras indicam que a polpa está machucada.

Quanto às carnes, a coloração ideal da carne bovina é vermelho-clara. Ficar atento se não tem partes escurecidas ou secas. Em relação à carne bovina, é importante observar se não há bolinhas brancas, pois são indicativas de contaminação.  Ao comprar carne, você tem que conhecer muito bem o local da compra e analisar se a carne está com o carimbo de inspeção do Ministério da Agriculta, denominado Serviço de Inspeção Federal (SIF).

Compartilhe ❤