Eu acho que os dois assuntos atuais mais polêmicos em relação à infância são: palmada para educar e crianças ajudando nas tarefas domésticas. Hoje eu vou falar do segundo assunto, que é super realidade aqui em casa. Sei que muita gente pensa que incorporar a ajuda das crianças no trabalho doméstico soa quase como trabalho infantil. Mas se essas tarefas forem escolhidas e divididas de maneira sensata, acabam ajudando (e muito!) no desenvolvimento do seu filho.

Eu nunca cogitei pedir/exigir ajuda das crianças na intenção “diminuir o meu trabalho”, mas aqui duas coisas sempre foram meio que instintivas para mim: ensinar a botar no lugar o que bagunçou e colocar roupa suja no cesto. Não sei bem explicar o porque disso, talvez tenham me ensinado a mesma coisa quando pequena, não lembro. Só sei que foi isso que pedi das crianças durante um bom tempo, desde cedo. Nisso eu vejo uma grande vantagem na nossa rotina atual: eles sabem que podem brincar, bagunçar e serem criativos. Mas sabem que depois disso, tudo volta pro lugar. O que economiza muito “puxão de orelha” diário, na minha opinião. Mas aí o que eu exigia das crianças parava por aí. Qualquer coisa extra era meu dever, durante muito tempo.

Com o crescimento de desenvolvimento do Tomás e do Bernardo (que são quase gêmeos, hahaha), percebi que já não eram bebês e eu não tinha que ficar fazendo tudo por eles. Um ano atrás, quando tinham, respectivamente, 3 e 5 anos, resolvi botar em prática algumas tarefas simples. Essas tarefas não eram nada absurdas e com certeza só contribuíram para o crescimento dos meninos. Vejo que se tivesse começado antes, só teria ajudado. Na época, comecei a pedir que sempre levassem os pratos sujos à pia, limpassem o que derrubassem no chão (ainda que eu tivesse que ir lá e limpar novamente) e dobrassem o cobertor depois que acordassem. Com a introdução dessas “obrigações” simples percebi que eles começaram a prestar muito mais atenção no que sujavam e o quarto deles passou a ser um lugar mais arrumado.

Atualmente, tenho uma menina de dois anos e quatro meses, um menino de quatro e outro de seis anos. As tarefas mudaram e todos ajudam. Lembrando que todo mundo faz uma coisa diferente, de acordo com a capacidade deles. Não adianta eu pedir pra Nina passar aspirador de pó, né? Cada tarefinha que eu introduzi na vida deles, trouxe um ponto positivo na nossa rotina. O Bernardo e o Tomás passaram a querer fazer mais coisas que envolvessem minha supervisão, assim eles contam novidades em momentos que eles sabem que eu estaria ocupada. Por exemplo: separando roupa para lavar ou servindo a mesa do jantar.

Eu poderia citar aqui mil e um motivos pelos quais introduzir tarefas domésticas na vida do seu filho, vai ajudá-lo. Mas tente ter em mente que, no mínimo, você está preparando seu filho para a vida. Mas sempre com bom senso, viu? A diiirce (Milene), uma das minhas autoras de blogs maternos favoritas, fez um post super legal sobre o assunto e lá compartilhou uma tabela (da autoria dela) com sugestões de acordo com cada idade. Ficam aí as sugestões de tarefas para quem não introduziu esse hábito em casa:

Veja mais posts sobrecriancas, educação, tarefas, vida doméstica
Compartilhe ❤