Uma das maneiras mais legais de esperar o bebê é, com certeza, montar o enxoval. Normalmente passamos meses escolhendo tudo nos mínimos detalhes. Mas, se não houver planejamento, finalizar essa lista de compras pode se tornar uma grande dor de cabeça.

Nas duas primeiras gestações eu montei enxovais enoooormes, seguindo algumas lista que costumamos encontrar em lojas de produtos infantis. Usei muita coisa, mas tenho noção de que gastei dinheiro com muita coisa inútil. Já na gestação da Nina, eu me preocupei bem mais com o planejamento e com a compra consciente. No fim das contas consegui montar um enxoval bem legal: básico, mas bem fofo.

Separei então algumas dicas de como economizar no enxoval do bebê:

1. Faça uma lista do que precisa
Seguir as listas enormes que encontramos por aí pode não ser uma boa ideia. O enxoval tem sempre que seguir o estilo de vida da família e o orçamento. Como essas listas são gerais, é muito difícil que sirva para todo tipo de pessoa. Converse com amigas que já têm filhos, pesquise na internet ou pare para pensar no enxoval do seu primeiro bebê (se você não for mãe de primeira viagem). Descubra o que é mais usado de acordo com o clima da época que seu bebê for nascer e defina quantidades. Eu já publiquei aqui no blog a lista básica do enxoval da Nina. Para acessar é só clicar aqui.

2. Defina uma quantia mensal para gastar com o enxoval
Montar um enxoval sem planejamento vai acabar em desperdício de dinheiro. O que mais funcionou pra mim foi fazer uma lista do que eu precisava comprar e definir uma quantia mensal que eu tinha para gastar com a lista. Se num mês via que roupinhas estavam em promoção, comprava. Achando o carrinho ideal por um preço legal, comprei. Mas nunca ultrapassando a meta mensal!

3. Compre produtos usados
Não medo tenha de comprar produtos de segunda mão. Hoje em dia está cada vez mais comum que mamães passem os produtos semi-novos dos bebês para outras mães. Uma maneira de achar roupinhas ou acessórios assim é ir em brechós especializados. Aqui em Brasília eu super indico o Peça Rara! Existem alguns grupos virtuais de mamães que se juntam com esse propósito. Algumas semanas atrás eu abri um grupo no Facebook para quem quiser vender e quem quiser comprar produtos usados de bebês e crianças. Para acessar é só clicar aqui.

4. Pesquise resenhas sobre os produtos
É muito importante pesquisar detalhes sobre os produtos que queremos comprar. Principalmente se for um produto caro! Às vezes vemos várias mães falando maravilhas de uma determinada coisa, compramos e nos arrependemos. Isso poderia ser evitado se pesquisarmos de verdade e ficarmos cientes de todas as características daquela coisa. Aí é só parar para pensar se aquilo se encaixa no nosso estilo de vida/orçamento.

5. Pesquise sobre a real necessidade de comprar certos produtos
Muita coisa que faz parte de enxoval de bebê pode ser inútil e um gasto desnecessário. Existem até certos produtos bem polêmicos! Tem gente que ama e gente que odeia… Por isso vale sempre aquela de dica de conversar com mães para saber o que pode ser bem útil e o que pode ser bem inútil.

6. Pesquise preço e peça desconto
Pesquisou e decidiu o que comprar? Ótimo! Mas não faça isso de primeira! Parar, pesquisar preço e negociar vale para qualquer compra. É legal esperar épocas de promoção e ir em lojas negociar preços. Não se esqueça de pedir desconto :)

Para saber mais, assista ao vídeo abaixo:

Veja mais posts sobrebebê, compras, economia, enxoval
Compartilhe ❤

Quem é mãe sabe que não dá para sair de casa, nem pra ir à padaria, sem pelo menos levar uma fraldinha. Aqui com três eu me viro, mas gosto sempre de estar preparada. Já tinha feito um vídeo sobre a bolsa de passeio da Nina (clique aqui para assistir), mas isso já tem mais de um ano! Então resolvi mostrar em vídeo a minha bolsa atual (e tudo que eu levo dentro dela)! Espero que gostem!

bolsa de passeio foto

Como eu disse no vídeo: tem muita coisa nessa mochila que eu não uso sempre. Mas eu acho legal ter por perto, caso precise.

Produtos que mostrei:

Mochila Fisher-Pricehttp://bit.ly/bolsaafisher
Saquinhos para fralda suja Munchkinhttp://bit.ly/sacosfralda
Garrafas Contigohttp://bit.ly/garrafacont
Kit de cuidados Safety 1sthttp://bit.ly/kitsafety1st
Bolsa de roupa molhada Skip Hophttp://bit.ly/bolsawetdry

E você? O que leva na bolsa de passeio do bebê/criança?

Me responde por aqui, porque eu vou adorar saber :)

Veja mais posts sobrebolsa de passeio, criancas, passeio, produtos
Compartilhe ❤
20 de Junho de 2015

Pergunte antes!

Acho que muita gente viu um post (que circulou essa semana no Facebook) de uma mãe contando que estava no mercado, conferindo o rótulo de um shampoo para seu bebê (super alérgico) e de repente percebeu que a vendedora tinha dado um pedaço de chocolate ao leite para ele. Ela teria tentado impedir que ele comesse, mas já era tarde e o bebê foi levado às pressas para o hospital e precisou ser entubado. Depois de alguns dias fiquei sabendo que a notícia era provavelmente falsa, mas esse tipo de situação está longe de ser invenção de alguém. Já passei várias vezes por isso: alguém oferecendo comida aos meus filhos sem perguntar antes e eu parando para explicar que não dá, que eles têm alergia ao leite etc. Graças a Deus a alergia aqui em casa não passa perto desses sintomas mais graves… Mas e se fosse grave?

Eu fico super aliviada quando me encontro numa situação mais estressante (tipo sair sozinha com os três) e tem alguma pessoa que se aproxima, brinca e é simpática com meus filhos. É esse tipo de pessoa que puxa papo querendo aliviar a bagunça ali e, eventualmente, pode chegar oferecendo um lanchinho. E eu sei que fazem isso na melhor das intenções. O problema é quando não perguntam pra mãe/pai antes. Existem várias possibilidades: a criança pode comer aquilo sem problema, a criança pode ser alérgica e ter uma reação gravíssima ou os pais podem simplesmente não querer que a criança coma aquilo. Porque, no fim das contas, a alimentação dos pequenos fica a critério dos pais, não é?

Vou colar abaixo um texto escrito pela Thaís Abath, nutricionista materno-infantil e colaboradora aqui do blog:

Vou contar uma estória para vocês: Era uma vez um menino de 2 anos que tinha alergia a leite, uma alergia que não suportava nem traços de leite. Um dia, esse menino estava na fila do supermercado com a sua mamãe e com mais os seus dois irmãos mais velhos, um de 4 e o outro de 6. A mãe das crianças estava sozinha, então, imagina ter que tomar conta de 3 crianças no supermercado?

Acabou que ela ficou olhando os dois maiores que estavam andando de um lado para o outro e deixou o menor no carrinho, ao seu lado, na fila do caixa. Um desconhecido, sem nem perguntar a mãe daquele garotinho, ofereceu um chocolate para o pequeno. Resultado: o menino foi direto para o hospital.

Nos deparamos diariamente com essas situações de desconhecidos quererem oferecer alimentos para crianças para agradá-las. Eles não sabem se aquela criança tem alguma restrição alimentar, alguma alergia ou até se a mãe quer que a criança consuma ou não o tal do alimento.  A alergia alimentar pode influenciar no aparecimento de urticárias, dermatites, deficiência de nutrientes, deficiência de ganho de peso e crescimento, vômitos, diarreia, desequilíbrio intestinal, entre outros.

Imagina o sofrimento da mãe que tem que tirar alguns alimentos para ver o seu filho crescer saudável e, de repente, alguém aparece e oferece esse mesmo alimento que ela vem lutando há tempos para ele não consumir? Alergia alimentar pode ser fatal, por isso, ninguém deve dar alimentos para a criança sem o consentimento da mãe e do pai.

E se a mãe simplesmente não quisesse que ele comesse aquele chocolate? Ela deveria ser respeitada da mesma forma! Antes de oferecer qualquer coisa para a criança comer é importante que pergunte à mãe se pode ou não por educação e respeito.

Fica aí a reflexão para falarmos com os pais antes de oferecermos qualquer alimento a outra criança (mesmo que seja aquele biscoito que nossos filhos querem dividir com o novo amiguinho).

Compartilhe ❤
19 de Junho de 2015

Sejam bem-vindas (de novo!)

Esse blog foi criado em janeiro de 2013, com o nome Mãe de Dois. A ideia foi sempre falar sobre maternidade, fosse passando dicas, desabafando ou até pedindo a opinião de quem estivesse lendo. Os meses se passaram e eu fiquei grávida da Nina. Quando ela nasceu o blog mudou novamente: dessa vez para Mãe de Dois e de Uma! Aí veio o YouTube e o conteúdo que eu compartilhava não falava mais só sobre maternidade. O blog atualmente leva o meu nome – Thalita Campedelli –  e finalmente ele está com a cara que eu queria (thanks, Phellipe!).

Quando peguei gosto por gravar e postar vídeos, esse espaço aqui ficou meio de lado. Só que eu senti muita saudade de vir aqui e poder escrever. É completamente diferente de gravar vídeos e eu quero fazer as duas coisas.

Sejam bem-vindas! Por enquanto vou alternar os dias de post com dias de vídeo: conteúdo no YouTube toda segunda, quarta e sexta e conteúdo no blog toda terça, quinta e sábado.

Agradeço a todas as meninas que pediram que eu voltasse com o blog <3 Isso aqui é puro amor!

thalitacampedelli

Até amanhã!

Compartilhe ❤