26 de Maio de 2016

O desmame da Nina

A amamentação para mim sempre foi meio trabalhosa no início, mas depois fluía bem. Desmamei o Bernardo às pressas por orientação médica quando engravidei do Tomás. Hoje sei que foi um equívoco, tanto que amamentei a Nina até o mês passado, já com oito meses de gestação. Não sou médica ou profissional da saúde, mas chequei em vários lugares (inclusive com a minha obstetra, claro) e, se a gestante estiver numa gravidez sem grandes riscos,  a amamentação pode seguir normalmente. O que acontece (e aconteceu comigo) é que o leite vai mudando durante a gestação e no final o que sai é o colostro que vai alimentar o próximo bebê. É normal então que a criança ou bebê, que esteja mamando, sinta essa diferença e largue naturalmente. A Nina completou 2 anos e 7 meses essa semana e durante muito tempo nem deu sinal de que pararia de mamar tão cedo. Por um lado eu estava super feliz e realizada, já que consegui levar a amamentação super longe e por outro lado bem preocupada, já que não tinha nenhuma ideia de como gerenciar meu leite entre dois seres de idades e necessidades diferentes.

desmame

Um dos nosso últimos registros da amamentação. Foto: Larissa Sampaio

Para a minha surpresa, segui confiando na naturalidade do processo e em algum momento (durou meses o processo) a Nina parou de mamar sempre. Às vezes passava um dia ou outro sem pedir ou lembrar de mamar. Eu seguia na linha do “não vou oferecer, mas também não vou recusar”, até porque tinha bastante medo de traumatizá-la e tornar a chegada do irmãozinho algo que a incomodasse mais que o normal. Eu imagino que o que mais tenha feito diferença foi o gosto/textura do “leite novo”. E, ao mesmo tempo que ia demonstrando desinteresse pelo leite, fui deixando claro que mamar não era a única forma de passar aquele tempinho junto com ela. Fui dando bastante colo, passando um tempo abraçadas juntinhas. No fim eu acho que ela entendeu. Tivemos alguns momentos nos quais ela regrediu um pouco, como quando ficou bem gripadinha e tudo que queria era colo e “mamá”. Depois desses períodos continuei me comportando da mesma maneira de antes e novamente ela esqueceu de pedir para mamar. Hoje em dia ela olha pra mim, sabe que ali tem “mamá” e já sinaliza que “é do Bento”. Considero o desmame um sucesso por aqui, mas não tenho certeza de como ela vai se comportar depois que o irmão chegar. Vamos ver né :)

Ela está super tranquila e eu admito que quem sentiu mais esse processo todo fui eu. Apesar de racionalmente saber que não é verdade, dá uma sensação de eu perdi uma parte da minha bebêzinha (que já cresceu faz tempo). Mas a vida é assim, né? Eles crescem super rápido mesmo!

Durante esse período no qual me preocupei com o desmame, sabia que queria seguir uma linha mais natural e li vários textos. Vou deixar alguns que mais gostei como sugestão:

Depoimente: Desmame Natural – Portal Maternidade Consciente
“De novo a culpa… Quando o desmame natural vem da mãe” – MamãeDoula
Desmame: Perguntas e respostas sobre o fim da amamentação – Bebe.com.br

Veja mais posts sobreamamentação, desmame, gravidez
Compartilhe ❤

Cada família costuma ter a sua própria dinâmica e por aqui sempre funcionou muito bem manter o recém-nascido por perto durante os primeiros meses. Quando digo isso, estou falando de manter sempre por perto, inclusive durante a noite. Das outras vezes os bebês dormiram algumas semanas no bebê-conforto e depois já fizemos a transição para o berço, no quarto deles. Dessa vez, nesse contexto de incerteza da mudança (depois explico melhor), resolvemos não montar um quarto e fizemos um cantinho para o Bento no nosso quarto. Essa ideia funciona bem também para quem mora em lugares pequenos e não tem a opção de ter um quarto só para o bebê. Espero que gostem das inspirações de cantinhos para o bebê no quarto dos pais =)

Fonte: CozyTips

Fonte: CozyTips

No mês passado eu mostrei como está (por enquanto) o cantinho improvisado do Bento. Depois disso ainda fiz algumas alterações. O berço dele é aquele modelo mini Canaã.

Compartilhe ❤

Eu sempre achei legal a ideia de registrar a gravidez, mas sempre tive muita vergonha de correr atrás de um ensaio meu. Não sou nada fotogênica e achei que morreria de vergonha na hora de tirar as fotos. Então precisei chegar na quarta gravidez para botar essa vontade em prática! O ensaio foi feito aqui em Brasília quando eu estava com 33 semanas. A fotógrafa (e amiga <3) Larissa Sampaio sugeriu que toda a família fosse envolvida e o resultado não poderia ter sido melhor!

Passamos mais ou menos umas duas horas tirando fotos, num fim de tarde sábado e eu achei tudo lindo! No dia eu estava passando super mal, mas nem lembro disso quando vejo as fotos. Eu realmente amei!

Obrigada Larissa pelas fotos lindas e pela paciência infinita com as crianças (que não pararam um minuto sequer) e com a gestante hahaha <3

Fotos: Larissa Sampaio

Maquiagem: Linda Kramer

Compartilhe ❤

Peço mil e uma desculpas pelo sumiço! No começo foi por causa do VEDA (vídeos todos os dias em Abril, lá no canal do blog) e nas últimas semanas acabei ficando sem internet decente. Muita gente achou que o Bento já tinha nascido, mas posso garantir que ele continua quentinho e confortável dentro da minha barriga!

Falando nisso, ontem completei 38 semanas e a ansiedade já tá batendo mais forte. Na verdade acabo me dividindo num mix de sentimentos entre “Por favor, nasce logo porque eu quero te ver” e “Aproveita enquanto ele ainda está aí dentro, Thalita”. Acho que é normal nessa altura do campeonato, né? No fim do mês passado fiz um vídeo falando sobre o que podemos fazer no último mês de gestação… Uma checklist tanto para dar uma enganada na ansiedade, quanto para se organizar e deixar tudo meio que encaminhado para o nascimento do bebê. Esse post poderia se chamar O que fazer no último mês de gravidez ou Como se manter calma e facilitar sua vida no pós-parto. Vamos começar?

Fonte: New Leaf Wellness

Fonte: New Leaf Wellness

CONGELE REFEIÇÕES: 

Independente da dinâmica da sua família, uma coisa é verdade:  todo mundo precisa comer. Outra verdade é que, por mais que seu parto tenha sido maravilhoso e a recuperação super normal, um recém-nascido naturalmente demanda atenção e cuidados. Pode ser que você tenha alguém para te ajudar enquanto você se dedica ao novo membro da família… pode ser que não. Eu acho legal então aproveitar essas últimas semanas de gravidez para montar refeições para serem congeladas. Não precisa ser algo super complexo! Apenas escolha suas refeições favoritas, junte os ingredientes e congele! Você pode fazer de uma maneira crua e na hora descongela e coloca para cozinhar/assar ou você já pode deixar essa comida cozida, congelar e na hora de usar é só descongelar/aquecer. Isso com certeza vai economizar seu tempo e auxiliar na manutenção de uma alimentação mais saudável, né? :) O único ponto negativo é que precisamos de um espaço legal no freezer ou congelador para armazenarmos as refeições. Aqui estou fazendo de pouco em pouco, justamente porque não disponho de tanto espaço assim.

Fonte: BaliGo

Fonte: BaliGo

APROVEITE UM TEMPO COM O MARIDO:

Como eu mencionei ali em cima, um recém-nascido exige nosso tempo e alguns cuidados. É natural que diante disso e ainda somando o cansaço, essa parte da vida de casal fique de lado por algum tempo depois que o bebê nascer. Eu inclusive tenho algumas amigas que demoraram algum tempo para se sentirem seguras a ponto de deixar o bebê com alguém e sair para curtir um tempinho com o marido. Super normal! Diante disso, acho que uma dica legal é aproveitar bastante o tempo com marido/namorado/noivo/parceiro antes do bebê nascer. Não precisa sair pra jantar toda semana! Dá para aproveitar uma refeição legal em casa, ver algum filme, dormir até tarde, passar duas horas na livraria… Enfim, o que fizer parte da sua vida. Aproveita :D

Fonte: Project Nursery

Fonte: Project Nursery

HIGIENIZE E INSTALE O BEBÊ-CONFORTO (E O CARRINHO):

Infelizmente esses dois produtos mega essenciais para qualquer bebê podem não ser muito intuitivos na hora da montagem. Como se virar na hora não é uma opção muito boa na hora de sair da maternidade (muitas exigem bebê-conforto para deixar o bebê vir embora com a família), higienize (já que o produto, no mínimo, ficou guardado em algum depósito) e instale o bebê-conforto no carro. O mesmo cuidado serve para o carrinho!

Fonte: ImageStore

ESCOLHA UM PEDIATRA:

Acho que todo mundo sabe que já no comecinho da vida do bebê, vamos precisar bastante de um pediatra. Já na maternidade o recém-nascido passa por vários procedimentos e exames e normalmente volta ao pediatra com 10 dias de vida. Nessa primeira consulta é verificado se o bebê cresceu e recuperou o peso que perdeu nos primeiros dias de vida. Como tudo acontece muito rápido quando temos um bebê, já é legal ter escolhido o pediatra antes do nascimento. Então, ao sairmos da maternidade, a única coisa que precisamos providenciar é a marcação da consulta. Escolher o profissional que vai acompanhar seu bebê por pelo menos um ano é uma coisa séria. Peça indicação a amigas, em grupos de mães ou verifique com seu plano. Não se esqueça de procurar por um médico que esteja alinhado com a maneira pelo qual você queria cuidar do seu filho: incentivo à amamentação, vacinas,início das introdução alimentar etc.

Fonte: New Health Advisor

Fonte: New Health Advisor

SE DESPEÇA DA BARRIGA

Por mais que o fim da gravidez seja um período bem cansativo (acredite em mim, eu sei) , é normal sentirmos saudades da barriga depois que o bebê chegar. Eu sei que vou sentir saudades do Bento se mexendo aqui dentro, então nessas últimas semanas tenho aproveitado bastante os movimentos absurdos que ele está fazendo :) Tire fotos e registre o finzinho da gravidez!

SEPARE UM TEMPINHO PARA VOCÊ

Para afastar a ansiedade e relaxar um pouco, acho bem legal separar um tempinho para nos paparicarmos. Pra mim super funciona fazer as unhas, hidratar o cabelo, mergulhar os pés em uma bacia com água morna, tomar um banho mais demorado ou até fazer um panela de brigadeiro e comer sozinha. Enfim… faça o que te agrada e o que te relaxa!

Fonte: Moms.Ae

Fonte: Moms.Ae

APROVEITE O TEMPO COM SEUS OUTROS FILHOS:

Essa é para quem já tem filhos, claro. Assim como o tempinho exclusivo com o marido fica mais escasso no começo, podemos passar um  período sem conseguir dar tanta atenção para os filhos mais velhos. Dependendo da idade deles, é meio complicado esperar que eles compreendam isso. Tente aproveitar esse último mês de gestação dando atenção para os filhos e explicando (ou pelo menos tentando explicar) como vai ser quando o bebê nascer.

Compartilhe ❤