Cheguei a comentar em alguns vlogs que iríamos viajar nesse mês de julho. A viagem foi até curta, mas muito especial! O Tomás comemorou 4 anos e aproveitamos a data para fazer uma viagem que eu e o André já queríamos tem bastante tempo: voltar à Disney com as crianças! Nós dois já tínhamos ido juntos, só que em 2007!

A gente já sabia que ir à Disney com filhos seria uma experiência completamente daquela que tivemos quando éramos adolescentes. E realmente foi. Já tínhamos combinado que essa viagem seria para eles. Iríamos respeitar os horários de cansaço, fome, calor (MUITO CALOR!) e fazer tudo no ritmo deles. Tentei registrar tudo através de vlogs diários, mas vários posts sobre esse assunto vão aparecer por aqui.

Enquanto esses posts não saem, você pode conferir os quatro primeiros vlogs aqui:


Para conferir os próximos vlogs é só se inscrever no meu canal do Youtube! :)

Veja mais posts sobreDisney, férias, viagem
Compartilhe ❤

Sempre que compartilho fotos de alguma lancheira que tenha gelatina no meio, me chovem perguntas do tipo “como você consegue mandar gelatina no lanche da escola sem que ela derreta?”. Eu optei por tentar mandar esse tipo de comida simplesmente porque os meninos adoram e é legal dar uma variada no cardápio, principalmente por causa de todas as restrições alimentares que eles têm.

Antes de passar a receita, eu queria ressaltar duas coisas:

A conservação do lanche: independente da presença de gelatina, eu deixo o lanche na geladeira até a hora de sair (se tiver gelatina, deixo 10 minutinhos no freezer), depois sempre guardo o pote dentro de uma lancheira térmica e coloco um barra de gelo em gel para garantir a conservação do que quer que tenha no cardápio.
– O horário do lanche: os meninos lancham em até duas horas depois que chegam na escola. Se fosse para mandar a lancheira pela manhã e eles só comerem pela tarde, com certeza não daria certo. Não sem uma geladeira na escola e, no caso deles, eu não conto com esse recurso.

Esses dois pontos realmente influenciam na hora de decidir o que eu posso e vou colocar no lanche deles. Agora vamos voltar ao assunto gelatina. Você basicamente tem duas opções: fazer a gelatina industrializada (em pó, com sabor) ou fazer a gelatina com suco natural, do zero.

Se você for pela opção número 1, o melhor método é reduzir a quantidade de líquido em relação ao pó da gelatina, assim ela fica mais durinha e resistente. Normalmente a preparação é da seguinte forma: dissolva o pó em 250ml de água fervente e depois acrescente 250ml de água gelada. A minha dica é: dissolva o pó em 150ml de água fervente e depois acrescente 150ml de água gelada. Assim sua gelatina com certeza vai ficar mais firme e derreter mais devagar.

Como eu evito industrializados aqui em casa, quando tem gelatina é porque eu fiz com suco natural mesmo (opção número 2). A preparação do suco é fácil: você escolhe a fruta (ou polpa) e bate com água. Se o suco precisar ser coado, coe nessa etapa. Tente usar um copo de medida para ter uma noção de quanto suco você tem. Eu normalmente faço 200ml ou 400ml de suco para a gelatina. O próximo passo é levar esse seu suco ao fogo baixo junto com a gelatina em pó. Aqui, mais uma vez, você tem duas opções: gelatina em pó convencional ou o ágar-ágar. A gelatina em pó convencional é aquela velha conhecida, simplesmente uma gelatina sem sabor.

gelatinas

Optando pela gelatina em pó, é só conferir a quantidade de líquido que se pede na instrução de preparo do produto e a quantidade de suco que você já tem. Se você tem 200ml de suco e no produto eles indicam que você use uma colher de sopa para cada 200ml (quantidade inventada por mim), você teoricamente usaria essa colher de sopa, certo? Só não se esqueça que nós queremos uma gelatina mais firme, para que ela não derreta até a hora do lanche. Então temos que diminuir a quantidade de líquido em relação à de pó. Ou você tira de 30% a 50% desse suco, ou aumenta a quantidade de pó de gelatina. A marca que eu costumo usar pede 12g de pó para cada 500ml, então uso 300ml para a mesma quantidade de pó ou uso o dobro de pó para a mesma quantidade de suco. Eu sempre me mantenho nessa proporção de gelatina e dá certo.

O ágar-ágar, minha opção favorita e a mais saudável, é um pó de gelatina feito a partir de algas. Eu prefiro o ágar porque ele não precisa ir à geladeira para ficar firme, é uma ótima fonte de fibras, não altera o sabor do alimento e ele não derrete em temperatura ambiente. Já deu pra ver que facilita muito, né? Com esse produto é só usar a quantidade que é indicada no pacote, não precisa alterar nada. A gelatina não vai derreter. <3

Depois que você escolher seu pó e as quantidades, misture com o suco e leve ao fogo baixo até levantar fervura. Distribua a gelatina entre os potinhos e leve à geladeira. Como eu disse antes, o ágar-ágar nem precisa passar por isso, mas aqui gostamos da gelatina mais geladinha.

Eu gosto de fazer as gelatinas na noite anterior mas, se não der tempo, tente deixar umas 3 horas na geladeira, ok?

OBS: O ágar-ágar costuma ser encontrado com facilidade em lojas de produtos naturais. Se você optar em comprar pela internet, não deixe de usar o cupom THALITA948 para receber 7% de desconto em suas compras na loja Sam e Mamãe na Cozinha. Você encontra o ágar-ágar nesse link aqui.

Veja mais posts sobrecriancas, escola, gelatina, lancheira, nutrição
Compartilhe ❤

Uma das maneiras mais legais de esperar o bebê é, com certeza, montar o enxoval. Normalmente passamos meses escolhendo tudo nos mínimos detalhes. Mas, se não houver planejamento, finalizar essa lista de compras pode se tornar uma grande dor de cabeça.

Nas duas primeiras gestações eu montei enxovais enoooormes, seguindo algumas lista que costumamos encontrar em lojas de produtos infantis. Usei muita coisa, mas tenho noção de que gastei dinheiro com muita coisa inútil. Já na gestação da Nina, eu me preocupei bem mais com o planejamento e com a compra consciente. No fim das contas consegui montar um enxoval bem legal: básico, mas bem fofo.

Separei então algumas dicas de como economizar no enxoval do bebê:

1. Faça uma lista do que precisa
Seguir as listas enormes que encontramos por aí pode não ser uma boa ideia. O enxoval tem sempre que seguir o estilo de vida da família e o orçamento. Como essas listas são gerais, é muito difícil que sirva para todo tipo de pessoa. Converse com amigas que já têm filhos, pesquise na internet ou pare para pensar no enxoval do seu primeiro bebê (se você não for mãe de primeira viagem). Descubra o que é mais usado de acordo com o clima da época que seu bebê for nascer e defina quantidades. Eu já publiquei aqui no blog a lista básica do enxoval da Nina. Para acessar é só clicar aqui.

2. Defina uma quantia mensal para gastar com o enxoval
Montar um enxoval sem planejamento vai acabar em desperdício de dinheiro. O que mais funcionou pra mim foi fazer uma lista do que eu precisava comprar e definir uma quantia mensal que eu tinha para gastar com a lista. Se num mês via que roupinhas estavam em promoção, comprava. Achando o carrinho ideal por um preço legal, comprei. Mas nunca ultrapassando a meta mensal!

3. Compre produtos usados
Não medo tenha de comprar produtos de segunda mão. Hoje em dia está cada vez mais comum que mamães passem os produtos semi-novos dos bebês para outras mães. Uma maneira de achar roupinhas ou acessórios assim é ir em brechós especializados. Aqui em Brasília eu super indico o Peça Rara! Existem alguns grupos virtuais de mamães que se juntam com esse propósito. Algumas semanas atrás eu abri um grupo no Facebook para quem quiser vender e quem quiser comprar produtos usados de bebês e crianças. Para acessar é só clicar aqui.

4. Pesquise resenhas sobre os produtos
É muito importante pesquisar detalhes sobre os produtos que queremos comprar. Principalmente se for um produto caro! Às vezes vemos várias mães falando maravilhas de uma determinada coisa, compramos e nos arrependemos. Isso poderia ser evitado se pesquisarmos de verdade e ficarmos cientes de todas as características daquela coisa. Aí é só parar para pensar se aquilo se encaixa no nosso estilo de vida/orçamento.

5. Pesquise sobre a real necessidade de comprar certos produtos
Muita coisa que faz parte de enxoval de bebê pode ser inútil e um gasto desnecessário. Existem até certos produtos bem polêmicos! Tem gente que ama e gente que odeia… Por isso vale sempre aquela de dica de conversar com mães para saber o que pode ser bem útil e o que pode ser bem inútil.

6. Pesquise preço e peça desconto
Pesquisou e decidiu o que comprar? Ótimo! Mas não faça isso de primeira! Parar, pesquisar preço e negociar vale para qualquer compra. É legal esperar épocas de promoção e ir em lojas negociar preços. Não se esqueça de pedir desconto :)

Para saber mais, assista ao vídeo abaixo:

Veja mais posts sobrebebê, compras, economia, enxoval
Compartilhe ❤

Quem é mãe sabe que não dá para sair de casa, nem pra ir à padaria, sem pelo menos levar uma fraldinha. Aqui com três eu me viro, mas gosto sempre de estar preparada. Já tinha feito um vídeo sobre a bolsa de passeio da Nina (clique aqui para assistir), mas isso já tem mais de um ano! Então resolvi mostrar em vídeo a minha bolsa atual (e tudo que eu levo dentro dela)! Espero que gostem!

bolsa de passeio foto

Como eu disse no vídeo: tem muita coisa nessa mochila que eu não uso sempre. Mas eu acho legal ter por perto, caso precise.

Produtos que mostrei:

Mochila Fisher-Pricehttp://bit.ly/bolsaafisher
Saquinhos para fralda suja Munchkinhttp://bit.ly/sacosfralda
Garrafas Contigohttp://bit.ly/garrafacont
Kit de cuidados Safety 1sthttp://bit.ly/kitsafety1st
Bolsa de roupa molhada Skip Hophttp://bit.ly/bolsawetdry

E você? O que leva na bolsa de passeio do bebê/criança?

Me responde por aqui, porque eu vou adorar saber :)

Veja mais posts sobrebolsa de passeio, criancas, passeio, produtos
Compartilhe ❤